((SEJAM BEM VINDOS))

OLÁ!!
SEJAM MUITO BEM VINDOS NESSE MEU RECANTO ESPECIAL, MEU SANTUÁRIO, MEU REFÚGIO...
AQUI VOCÊS ENCONTRARÃO MUITO AMOR, PAIXÃO, SEDUÇÃO, DELÍRIOS, TESÃO, ÊXTASE, SENSUALIDADE, ROMANTISMO, MELODIA, EROTISMO...
ENCONTRARÃO TAMBÉM UM POUCO DE MIM, UM POUCO DESSA MULHER SONHADORA, INTENSA, APAIXONADA PELA VIDA, APAIXONADA PELO AMOR....
ESPERO QUE GOSTEM E FIQUEM SEMPRE A VONTADE, AS PORTAS ESTARÃO ABERTAS A VOCÊS QUE SÃO MEUS AMIGOS E AOS NOVOS QUE SERÃO CONQUISTADOS.
OBRIGADA PELA VISITA
ABRAÇOS APERTADOS
BEIJOS NA ALMA
SEDUTORA ANNE

sábado, 5 de fevereiro de 2011

(( RAJ E SOPHIA, NUMA TARDE DE PRAZER))




Raj e Sophia eram amigos de faculdade de medicina, e faziam residência no mesmo hospital na capital do Mato Grosso.
Raj um jovem de 27 anos, indiano, veio para o Brasil ainda pequeno, tinha mais ou menos uns 08 anos de idade, seus pais vieram ao Brasil em busca de uma vida melhor, e desde garoto Raj sempre sonhava com a medicina, dizia sempre que quando crescesse seria médico psiquiatra, e com muita força e determinação o menino conseguiu realizar seu maior sonho entrar na faculdade e seguir na sua especialidade que tanto sonhava.
Sophia, brasileira, filha de pais separados, vivia com a mãe, mulher forte, determinada, sempre batalhando para que sua filha tivesse um futuro brilhante, e tanto que estava conseguindo alcançar seus objetivos, ver a filha formada em medicina, ela hoje com 25 anos, e se especializando em ginecologia.
Raj e Sophia se conheceram logo no primeiro semestre da faculdade, e não se largaram mais, estudavam juntos, nos grupos de estudos estavam lá eles, e todos diziam que essa amizade um dia iria se tornar em casamento.
Mas ambos apenas sorriam das brincadeiras, Sophia durante os anos de amizade arranjou alguns namorados mas nada sem grande importância, Raj também, teve uma ou outra namoradinha mas nada além disso.
A amizade era forte demais entre eles dizia Sophia, jamais poderia se transformar em algo mais sério, e Raj dizia a mesma coisa em relação ao assunto.
Quando em uma tarde de domingo essa história de amizade iria tomar um rumo totalmente diferente e apaixonante.
Raj toca a campanhia do apartamento de Sophia, ele estava levando alguns livros que tratavam do assunto de depressão pós parto, já que ela estava se especializando em ginecologia, e ela precisava de alguns artigos e literatura para entender um pouco melhor sobre o que acontecia com a mulher durante esse período.
Era uma tarde domingo quente, abafada, Sophia estava sozinha em casa, sua mãe havia saído com o namorado para ir ao cinema, e ela havia resolvido ficar para estudar um pouco.
Ela era uma mulher extremamente bonita, pele clara, cabelos castanhos claros, olhos também castanhos, coxas grossas, seios médios porém fartos, sensual, simpática, risonha, e uma tatuagem no pescoço (uma rosa vermelha), o que dava um charme todo especial em Sophia.
Quando a porta se abre Raj leva um susto ao avistar tanta beleza, ele raramente havia se deparado com sua amiga daquela forma, ela num short jeans curto, uma blusa regata branca e sem sutiã, cabelos soltos, molhados e um perfume inebriante que deixava Raj tonto, desnorteado com tanta beleza em uma única mulher.
- Entre Raj, seja bem vindo, coloque os livros alí em cima daquela mesinha no centro da sala.
Raj somente sorrindo,entra cambaleando com o peso dos livros e os põe em cima da mesinha.
- Por favor sente-se, sem cerimônias aqui em casa meu amigo, você quer beber alguma coisa???
- Tenho uma cervejinha bem gelada na geladeira, me acompanha????
- Você sabe que não costumo beber Sophia, mas com o calor que está, vou aceitar sim, minha garganta está seca.
Enquanto Sophia se dirigia até a cozinha, os olhos,o coração,  o corpo de Raj acompanhavam aquela mulher sedutora, sensual.
Ela volta com os copos nas mãos e a cerveja, senta ao lado do amigo, serve os dois copos e num gole só ele toma todo o líquido.
Apreensivo, nervoso, suas mãos suavam frio, tremiam, a presença de Sophia o incomodava, o pertubava.
- O que foi Raj???? Está passando bem????
- Acho que  talvez seja o calor...Preciso ir para casa.
- Ei, calma, espera um pouco, deixa esse mal estar passar, tire a camiseta, vou ligar o ar condicionado para refrescar, espere, não vou deixar você sair assim e ainda mais dirigindo.
Sophia de imediato tira a camiseta de Raj, e se depara com um homem lindo, moreno, magro, olhos esverdeados,  com seus músculos abdominais bem trabalhados, pois ele sempre arranjava um tempinho para ir a academia.
Quando os dois corpos se esbarram,  uma energia fortíssima passa por eles, foi como um imã, se atraíram e não conseguiram mais se largar, seus lábios, suas mãos começaram a uma luta de gladiadores, forte, intensa, envolvente, prazeirosa.
Raj não se controla e joga Sophia no sofá e começa arrancar suas roupas, peça por peça, admirando a beleza de sua amiga, e cada peça retirada era um suspiro de tesão, seu membro rijo, duro, teso, já não cabia mais em sua bermuda.
Sua respiração ofegante, seu corpo quente, suado, era o sinal de que ele desejava aquela mulher, ele desejava amar com sofreguidão, com desejo.
Sophia trêmula, também desejosa de sentir aquele homem dentro de si, pulsando, latejando, fazendo-a sentir prazer, sentir desejo de mulher adormecida e cheia de desejos.
Raj arranca sua bermuda e puxa de lado a calcinha de Sophia e num gesto carinhoso pega seu membro e começa bem devagar um vai e vém, aquele movimento fazia com que eles desejassem mais e mais a penetração completa, corpo colados, e os movimentos foram se acelerando, acelerando, acelerando e...
Num único gemido, num único gozo alcançaram o ápice do prazer, e mais que sem demora Raj põe Sophia de quatro em cima daquele sofá e começa mais um momento de intenso desejo entre ambos.
- Raj, não pára por favor, isso vai, assimmmm.....vai, com força, com vontade, estoca forte, vai....
- Sophia você é muito gostosa, deliciosa...... Hoje você é minha, minha delícia, deixa eu te olhar, deixa eu te sentir, eu quero você assim, só para mim... e sei que esse desejo é recíproco, eu sei que você me quer, me deseja, vem que quero te sentir...
E os dois amantes naquela tarde de domingo se amam, se desejam naquela sala, e se sucumbem de tanto tesão, prazer e gozo nunca antes vividos por ambos.
Por alguns minutos ficaram alí abraçados, se acarinhando, se refazendo, sentindo que não há nada e nem ninguém no mundo lá fora, trocas de olhares, desejos sentidos, desejos correspondidos, desejos recíprocos, únicos, singulares corriam nas veias desses dois amantes e amigos, que alí naquele exato momento teria se transformado em encontro de duas almas gêmeas.

Um comentário:

  1. Que gostoso de se ler este teu conto. Está uma delícia.

    ResponderExcluir

DEIXE AQUI SUAS SENSAÇÕES,SUAS EMOÇÕES, SEUS DESEJOS, SEUS CARINHOS, SEU TUDO......